Desenvolvimento JavaScript

Utilizando arrow functions no JavaScript

5 de março de 2019

Utilizando arrow functions no JavaScript

Veremos como utilizar as famosas arrow functions que vieram com a versão ES6 do JS, exploraremos suas sintaxes e casos de uso

js arrow functions

O que são arrow functions?

São funções anônimas com sintaxe mais enxuta, que facilitam tanto na escrita quanto na leitura do código

Nelas nós não utilizamos nem a palavra function e as vezes nem return, tudo está implícito

E temos a presença de um novo elemento o =>, que faz parte da sintaxe dessas funções

Outro ponto importante é que são sempre funções anônimas, ou seja, elas não tem um nome para serem invocadas em algum lugar do código

A não ser que você atribua ela a uma variável

Obs: vale lembrar que as arrow functions não substituem as functions normais do JS, elas não são equivalentes

Veja a seção de onde não utilizar arrow functions abaixo para entender onde as functions não podem ser substituídas

Sintaxe das arrow functions

Para criar uma arrow function você pode usar esta estrutura:

(parâmetro1, parâmetro2, parâmetroN) => {
    return expressão;
}

Chamada de block body, pois há um corpo para a lógica da função e um return explícito

ou esta abaixo, que é chamada de concise body, pois o retorno é implicito e não há corpo:

(parâmetro1, parâmetro2, parâmetroN) => expressão;

Uma mesma função no ES5 seria assim:

function(parâmetro1, parâmetro2, parâmetroN) {
    return expressão;
}

Basicamente passamos os parâmetros entre parenteses, e utilizamos o símbolo =>

Depois deste símbolo há a expressão que será resolvida com os parâmetros escolhidos

E o resultado da expressão pode ser retornado para uma variável, por exemplo

Utilizando arrow functions

Vejamos agora alguns exemplos de utilização da arrow function

Com vários argumentos

Podemos utilizar ela com vários argumentos como o primeiro exemplo, veja:

// arrow function vários parâmetros
var x = 10;
var y = 5;

var soma = (num1, num2) => num1 + num2;

console.log(soma(x, y)); // 15

Com um argumento

Da mesma maneira, podemos utilizar só com um um:

// arrow function um parâmetro
var frase = 'Estou vendo como criar arrow functions!';

var fraseToArray = (frase) => frase.split(' ');

console.log(fraseToArray(frase)); // (6) ["Estou", "vendo", "como", "criar", "arrow", "functions!"]

Sem argumento

Há a opção de utilizarmos sem também:

// arrow function sem parâmetro
var semParam= () => console.log('Teste arrow function');

semParam(); // Teste arrow function

Um exemplo bem simples, só com um console.log para ver que é possível

Casos de uso

E agora em situações reais como podemos aproveitar o máximo desse recurso

Observe nosso array de objetos que contém roupas

var roupas = [
    {produto: 'Camisa', preco: 25, cor: 'Amarelo'},
    {produto: 'Calça', preco: 80, cor: 'Azul'},
    {produto: 'Jaqueta', preco: 100, cor: 'Preto'},
    {produto: 'Camiseta', preco: 15, cor: 'Rosa'},
    {produto: 'Calção', preco: 20, cor: 'Azul'},
];

Com o auxílio de map e arrow function podemos rapidamente verificar, por exemplo, as que tem cor azul:

var roupasAzuis = roupas.map((roupa) => {
    return roupa.cor === 'Azul';
});

console.log(roupasAzuis); // [false, true, false, false, true]

Ou também utilizar o filter para ver quais roupas tem preço alto, veja:

var precoAlto = roupas.filter((roupa) => {
    return roupa.preco > 25;
})

console.log(precoAlto);

// 0: {produto: "Calça", preco: 80, cor: "Azul"}
// 1: {produto: "Jaqueta", preco: 100, cor: "Preto"}

Uma outra possibilidade é utilizar nas funções que requerem uma função anônima como argumento:

setTimeout(() => {
    console.log('Com setTimeout');
}, 100);

Onde NÃO utilizar arrow functions

As arrow functions tem o this e os argumentos léxicos, ou seja, o valores destes serão o que estiver no escopo da função

Então em alguns casos não será possível substituir functions por arrow functions, veja alguns exemplos:

Métodos de objeto

Como o this não está ligado ao objeto, ele pode não deixar que o mesmo funcione corretamente, veja:

var cat = {
  lives: 9,
  jumps: () => {
    this.lives--;
  }
}

console.log(cat.lives); // 9
cat.jumps;
console.log(cat.lives); // 9 - não foi alterado pois this não está ligado ao objeto

Callback functions com contexto dinâmico

Por exemplo se quisermos mudar uma classe de um botão com um clique, as arrow functions não são uma opção, veja o caso a seguir:

var botao = document.getElementById('botao');
botao.addEventListener('click', () => {
  this.classList.toggle('classe');
});

Ao executar este código receberemos um TypeError, pois o this da arrow function não está ligado ao botão

Invocando construtores

Também não podemos utilizar new com arrow function, veja o exemplo:

var Calculo = (x, y) => {
  this.calc = x + y;
};

var calculo = new Calculo(2, 4); // Uncaught TypeError: Calculo is not a constructor

Receberemos um TypeError também, isso porque o próprio JS nos impede de fazer isso

A maneira correta de fazermos isso é utilizando uma função normal, deste jeito:

var Calculo = function(x, y) {
  this.calc = x + y;
};

var calculo = new Calculo(2, 4);

Compatibilidade da arrow function

Como sabemos, as vezes nem todos os browsers se adaptam as novas funcionalidades

Mas pelo bem nação a arrow function, no ínicio de 2019 quanto consultei, é muito bem aceita, veja:

arrow function usabilidade

Fazendo algumas condições para IE e Opera Mini é possível usar arrow function sem medo!

Repositório

Você pode encontrar todo o código utilizado aqui!

Conclusão

Primeiramente comparamos a função do ES5 e do ES6 e vimos que com arrow functions conseguimos escrever menos e ter os mesmos resultados

Vimos também algumas formas de utilizar e casos de uso em aplicações

Outro ponto positivo é que sua compatibilidade com os navegadores é bem alta, então podemos pensar em usá-la

Confira também o nosso canal do Youtube com muito conteúdo sobre programação, clicando aqui.

E sobre arrow functions é isso, obrigado por lerem e até um próximo post! 😀

2

Programador apaixonado pelo mundo das tecnologias, sempre buscando em aprender e se aprofundar em linguagens, frameworks e o que mais for necessário para executar um bom trabalho. Agora tem uma nova missão que é de passar seu conhecimento adiante para formar novos programadores e especializar mais os que já são.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of